ANJOS DECADENTES

ANJOS DECADENTES


É meu esse desejo veemente


Louco eu, anjo decadente que sou


Meu caminho é de pedras


Pedras das quais nascem flores


Flores que nascem da dor 

 


Eu sou asa, gosto de estar no ar


Gosto mesmo é de sonho


E sonhando eu vou voando


“Flap, flap” sem parar

 


Eu sou anjo livre que não se prende


Que voa mais alto que mil "Ícaros"


Asa fagueira de sonhos


Rasga o infinito sem fronteiras 

 


Anjo solitário que definiu seus horizontes


Mas sou assim, meu desejo é meu fôlego


Por ser assim rebelde


Anjo sem paraíso me tornei.


J. Sollo

2 comentários

Postagens mais visitadas