O SONHO

Se foi como a brisa
Que no silêncio da madrugada
é o único som a indicar vida

se foi como a fúria de uma tempestade
Que depois acalma e não deixa
nenhum vestígio

Se foi como o sol
Que em cada entardecer
Precede a noite que a tudo envolve
com seu suave manto

Se foi como uma lágrima
que ao escorrer dos meus olhos
Traça o seu mágico contorno
Em meu rosto, para se perder
Na poeira de um caminho qualquer

Se perdeu como você
que foi meu sonho azul
Do qual acordei sem querer

Para o pesadelo real da vida...

J. Sollo

2 comentários

Postagens mais visitadas