OUTRA VEZ

De repente nem se sente
Quando a calma que vem te tocar
Se outra vez me repito, mas só faço isso
com você

Sem sentido perco as horas
Passo dias sem te ver
Quando volto vejo as nuvens
Viro sol pra te aquecer

Outra vez te tento, você nem liga
Te persigo toda hora no dia a dia
O dia inteiro faço planos no chuveiro
Enquanto as gotas de algum arco-íris
Que eu vejo, ou não vejo...
Mas estou só

Meu mundo é cinza e sem sentido
mas a teu lado é divertido
E então? Qual a palavra certa
Pra te convencer

Eu sou teu sonho "baby"
Que você sonha bem escondido
Quando te vejo quase sufoco
Se tu soubesses...

Sofro quando em tua indiferença
Insistes em chamar-me de amigo.

J. Sollo
Postar um comentário

Postagens mais visitadas