INVASOR DE MIM


                    INVASOR DE MIM

Quem é esse que me conhece tanto
Me invade na intimidade
Me faz sua a cada instante
Como se fora meu senhor

Invasor de mim, não pede nada
Dono de minha vontade, fogo abrasador
Dissipa-me a tristeza das madrugadas
Já chega com o desejo à mostra
E não protesto, apenas balbucio: sou tua....

Calor gostoso no meu peito
Nunca vi amor assim desse jeito
Me chama de santa, me toma como se fosse a outra

Que deixa meu corpo marcado
Que adormece no meu regaço e sonha
e velo por teu sono sorrindo
E me excito com sua respiração

Sei que esse amor vagabundo
Não me deixará pois é eterno
Cada noite renasce dentro de mim.

J. Sollo
4 comentários

Postagens mais visitadas