SEGREDO


SEGREDO
Teu sorriso matiza minha poesia
Tuas lágrimas inspiram em mim versos
E não saberia dizer mais nada
Se não fosse esse observar ainda
                                            [que distante
Conto as estrelas todas as noites
É que elas desenham teu rosto no céu
Não quero que falte alguma...
Que cintilem sempre assim e me iludam
Que teu olhar de jaspe não vê a mais ninguém,
                                                             [só a mim
Em meu sonho etéreo posso te tocar
Refresca meu rosto de orvalho
E penso que és tu a me beijar
Todavia sei que é apenas sonho
Pois não conto a ninguém o segredo atroz

Novamente as estrelas brilham em minha solidão 
E o pó que desprendem no céu são caricias em ti
Minhas preces constantes são pra que eu morra cedo
E unido a ti nas alturas viver pra sempre essa ilusão
J. Sollo
4 comentários

Postagens mais visitadas